Noticias

28 Nov 2012 - Estaleiro Promar dá início a curso de qualificação para a indústria naval

O estaleiro STX Promar, que está sendo construído no Complexo Industrial Portuário de Suape, dá início nesta quarta-feira (28) a um curso de qualificação de mão de obra para a indústria naval pernambucana. Nesta primeira turma, que integra o projeto denominado Polo Naval, serão beneficiados 200 trabalhadores dos municípios de Ipojuca, Jaboatão dos Guararapes e Cabo de Santo Agostinho.

Poderão partici


par do curso maiores de 18 anos que habitem nos municípios envolvidos, egressos do ensino médio da rede pública de ensino. O governador Eduardo Campos participa da solenidade, às 10h, na Ilha de Tatuoca.

O convênio do Polo Naval foi celebrado entre a Secretaria de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo, Secretaria de Educação, Estaleiro Promar, Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) e as prefeituras das cidades do Recife, Moreno, Ipojuca, Jaboatão dos Guararapes, Escada e Cabo de Santo Agostinho.

 

 


Fonte:Diário de Pernambuco(PE)
Foto: Divulgação

09 Nov 2012 - Porto de Itajaí é considerado o 4º melhor do Brasil

Porto de Itajaí foi considerado o quarto melhor porto brasileiro, segundo ranking divulgado pela Revista Exame semana passada

Com nota 3,89 e movimentação de 6,5% de toda a carga brasileira em 2010, o Porto de Itajaí apresenta um potencial de crescimento de 0,21 e fica atrás apenas dos portos de Santos (SP), Itaguaí (RJ) e Paranaguá (PR).




O ranking dos 12 melhores portos brasileiros analisou diversos levantamentos nas áreas de economia de inserção, acesso e ativos portuários, interconectividade marítima e disponibilidade de crescimento, estabelecidos na análise feita por Marcos Vendramini, professor de gestão portuária da Universidade Católica de Santos e diretor do grupo americano Aecom, especializado em serviços de engenharia e consultoria técnica.


O superintendente do Porto de Itajaí, engenheiro Antonio Ayres dos Santos Júnior, considera essa colocação altamente positiva, uma vez que Itajaí está à frente de muitos portos maiores. "Somos considerados um porto pequenos, com pouco mais de mil metros de cais, mas temos excelente produtividade e movimentamos cargas de alto valor agregado, o que nos coloca em nessa excelente posição", acrescenta Ayres.


O superintendente diz ainda que as dificuldades que Itajaí enfrentou nos últimos tempos, a exemplo das duas enchentes - uma em 2008 e outra em 2011 -, as limitações por ser um porto fluvial, entre outras questões estruturais, não impedem que o porto de continuidade ao seu processo de desenvolvimento. "Ao contrário. As adversidades são vistas pela administração do porto como desafios que precisam ser enfrentados. E isso que faz com que busquemos o nosso constante aprimoramento", acrescenta Ayres.

Fonte:http://www.cenariomt.com.br/
Foto: Divulgação

09 Nov 2012 - Sete Brasil patrocina prêmio de qualidade em estaleiros

Pelo segundo ano, a Sete Brasil, companhia que reúne capitais para construção de ativos para o setor marítimo e de petróleo, é uma das patrocinadoras do Prêmio Naval de Qualidade e Sustentabilidade (PNQS). A premiação tem como objetivo reconhecer as ações de desenvolvimento da sustentabilidade da Indústria Naval, e a inclusão de práticas in


ovadoras ou de aperfeiçoamento para a competitividade do setor. Para João Ferraz, presidente da Sete Brasil, o patrocínio ao evento mostra a preocupação da empresa em apoiar ações que envolvam o crescimento sustentável e responsável da indústria naval no Brasil. "A Sete Brasil acredita que a nova fase de crescimento econômico no país deve, obrigatoriamente, estar vinculada no respeito às relações humanas, ao meio ambiente e na eficiência empresarial, por isso nos comprometemos na realização desta premiação", salienta Ferraz.

Poderão participar do PNQS estaleiros e empresas que sejam fornecedoras de bens ou serviços para o segmento de construção e reparação naval e offshore. Os interessados poderão inscrever os relatos das iniciativas até esta sexta-feira. A cerimônia de premiação acontecerá no dia 12 de novembro, no Rio. As empresas ganhadoras terão direito a um 
selo demonstrando o trabalho sustentável que realizam. O prêmio é uma realização da Fundação ARO, com apoio do Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval), e conta também com patrocínio da Caixa - que também esteve presente no ano passado - e do Sebrae.

A construção naval estava em forte crise em 2002, com total nacional de mão-de-obra de 2 mil pessoas. No momento, o nível de emprego supera 62 mil profissionais e, com a criação de novos estaleiros, caminha-se celeremente para se alcançar a marca de 100 mil empregados.

Ao mesmo tempo, no entanto, frisa o presidente do Sinaval, Ariovaldo Rocha, que o setor teve o cuidado de não evoluir apenas na técnica e no faturamento, mas de olho na qualidade e sustentabilidade, que são a marca humana e social da construção naval. O Sinaval deu um passo à frente quando conseguiu normas de trabalho específicas para o setor - não mais derivadas da construção civil - e alcança novo patamar ao mostrar sua preocupação com qualidade e sustentabilidade.

Desafios

Apesar da demanda interna aquecida e dos incentivos do governo, para se tornar competitiva, a indústria naval brasileira tem muitos desafios a superar. A discussão dos fatores que podem melhorar a competitividade de estaleiros e fabricantes de navipeças nacionais ganhará espaço durante o 3º. Naval Sumit, que o grupo IBC vai promover no Rio, a partir de 27 de novembro.

Segundo o Sinaval, que estará representado no evento pelo secretário-executivo Sergio Leal, o país agrupa 52 estaleiros, que trabalham freneticamente para atender a uma lista de pedidos que deve incluir, até 2020, 50 plataformas, 50 sondas, 500 embarcações de apoio e 130 petroleiros. O segmento offshore é o que mais impulsiona o setor, e no Naval Summit serão discutidos os planos de desenvolvimento das principais operadoras de óleo e gás, renovação e modernização da frota, investimentos em apoio marítimo, cabotagem e nevagação.

Uma sessão especial do Naval Summit trará ao público apresentações sobre o Estaleiro Guarujá 2, da Wilson, Sons, e da unidade de construção naval no Porto de Açu, realização do grupo de Eike Batista no Norte fluminense. A Wilson, Sons está investindo US$ 50 milhões no Guarujá 2, que terá um dique seco para o lançamento de embarcações PSV de tamanho médio, e o detalhamento do projeto será conduzido pelo diretor da empresa, Adalberto Souza. Pela OSX falará o diretor da unidade de construção naval, Danilo Baptista.

O professor Luciano Pires, do Coppe/UFRJ e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Engenharia Naval (Sobena), comenta: "Apesar da qualificação da engenharia naval brasileira, há um gargalo na engenharia de processos por causa de uma defasagem tecnológica do Brasil em relação aos países que se destacam no setor. Os estaleiros da Coreia do Sul, Japão e China têm centros de pesquisa próprios, que otimizam tempo e custo de produção". O evento tem patrocínio da Mundivisas, Aveva e Man Turbo & Diesel.

 

Fonte: Monitor Digital
Foto: Arquivo

09 Nov 2012 - Produção de petróleo e gás do pré-sal registra novo recorde

Três novos poços entraram em produção no campo de Baleia Azul


NNpetro - Quinta-feira, 8 Novembro, 2012 - 12:12
Foto: divulgaçãoA produção média de petróleo e gás na camada pré-sal registrou um novo recorde em setembro deste ano. Segundo dados divulgados nesta quinta-feira (08) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), foram produzidos 220,1 mil barris de óleo equivalente por dia, sendo 182,6 mil barris de petróleo e 5,9 milhões de metros cúbicos de gás natural. Houve crescimento de 8,3% em relação ao mês anterior.

Esse foi o terceiro mês consecutivo em que a produção do pré-sal ficou acima dos 200 mil barris de óleo equivalente (Mboe/d). De acordo com a ANP, três novos poços entraram em operação em setembro, no campo de Baleia Azul, no Espírito Santo, operado pela Petrobras. Um deles já figura entre os 30 maiores poços produtores do país, com produção diária de 15,6 mil barris.

Queda 

Os dados da ANP mostram que, apesar do crescimento na produção do pré-sal, houve queda de 4% na produção total de petróleo do país, que chegou a 1,92 milhão de barris por dia em setembro. Comparado ao mesmo período do ano passado o volume é 8,4% inferior. Com uma produção diária de 318,1 mil barris de óleo equivalente, o campo de Marlim Sul, na Bacia de Campos, foi o maior produtor de petróleo e o segundo maior produtor de gás natural de setembro.

Alta

Já a produção de gás teve aumento de 9,9% entre agosto e setembro, chegando a 71,7 milhões de metros cúbicos por dia, segundo a agência. As operações no mar concentraram 89,9% da produção de petróleo e 76% da de gás natural.

Dentre os vinte maiores campos produtores de petróleo e gás natural, 2 são operados por empresas estrangeiras: Statoil, no Peregrino, e Shell, no Ostra. O campo de Baleia Azul, que iniciou a produção neste mês, teve média de aproximadamente 23,6 Mboe/d.

Fonte: Agência Brasil
Foto: Agência Petrobras

<<<313233

Novidades noticias

Outras Notícias
Vem aí a Transat Jacques Vabre!

LEIA MAIS

Petrobras vende ativos na Argentina por metade do preço, diz Época

LEIA MAIS

Pacote dos portos já atrai investimentos de R$ 21 bi

LEIA MAIS

Reforma portuária e competitividade

LEIA MAIS